Com suas palavras, você pode levar esperança para cristãos que enfrentam perseguição por sua fé em diversos países

Fonte: portas abertas

“Pelo contrário, encorajem-se uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama ‘hoje’” (Hebreus 3.13)

É tão importante receber palavras de encorajamento quando passamos pelos dias mais escuros de nossas vidas. Muitas vezes é isso que nos faz ter forças para continuar. Agora imagine ser preso, ter sua filha sequestrada por um grupo terrorista ou ver sua igreja ser bombardeada e pessoas conhecidas morrerem, tudo por causa da fé em Jesus. Em circunstâncias extremas como essas, mais do que nunca, gostaríamos de ouvir Deus falando conosco e nos motivando a não desistir. Essas são exatamente as situações vividas por nossos irmãos perseguidos. Por isso, convidamos você a escrever a cristãos que enfrentam as seguintes situações:

Cristãos presos no Irã
No Irã, cristãos enfrentam uma pressão extrema. Muitos, principalmente os cristãos ex-muçulmanos, são acusados e sentenciados a longos períodos de prisão. Outros ainda esperam o julgamento. As famílias também enfrentam humilhação pública. Entre os presos está Ebrahim Firouzi, de 31 anos, acusado de “promover o sionismo cristão”. Ele foi acusado de conduzir atividades de evangelismo. Firouzi está preso desde agosto de 2013 e, embora devesse ser solto em 2015, foi sentenciado a mais cinco anos de prisão.

Outro caso é o de Nasser-Navard Gol-Tapeh, um iraniano convertido ao cristianismo que cumpre dez anos de prisão por “atividades missionárias”. Já, o pastor Victor Bet-Tamraz foi preso junto com dois membros de sua igreja, em 2014, enquanto celebravam o Natal. A sentença foi dez anos de prisão. Ele está em liberdade condicional no momento, mas é difícil não saber se será chamado para cumprir a pena, ou não. Shamiram Isavi Khabizeh, esposa de Victor Bet-Tamraz, também apela contra sua sentença de cinco anos de prisão. Ela espera os resultados do recurso em liberdade condicional.

Pais das meninas de Chibok
Já se passaram cinco anos desde 14 de abril de 2014, quando, no meio da noite, militantes do Boko Haram atacaram a escola secundária para meninas em Chibok, na Nigéria. A maioria das 275 alunas era cristã. Algumas delas conseguiram escapar, mas eles sequestraram cerca de 230 alunas do internato. Em outubro de 2016, o Boko Haram libertou 21 meninas e outras 82 em maio de 2017. Segundo informações, ainda há 112 meninas em cativeiro, mas não se sabe quantas ainda estão vivas.

Vítimas de ataques no Sri Lanka
Em 21 de abril de 2019, domingo de Páscoa, o Sri Lanka foi atingido por um dos ataques mais mortais a cristãos da história. Um total de oito explosões mataram 253 pessoas e feriram centenas. Os bombardeios foram assumidos pelo grupo extremista Estado Islâmico. Apenas na Igreja Sião, 30 cristãos, incluindo 14 crianças, foram mortos e 122 ficaram feridos, sendo 17 crianças. Um total de 83 famílias foram diretamente afetadas pelas explosões. Além disso, há 133 crianças traumatizadas pelo incidente e nem todas estão listadas entre as 83 famílias. Um grupo de 20 voluntários auxilia as famílias sobreviventes dos ataques.