Para os novos convertidos ao cristianismo no país, a família é a esfera em que a pressão é mais sentida

Fonte: portasabertas

A instabilidade de Mianmar e como isso afeta os cristãos pode ser vista claramente com os níveis de perseguição nos últimos cinco anos. A pressão na comunidade aumentou e se mantém em nível muito alto desde 2017. O nível de pressão para família aumenta a cada ano, mostrando que está mais difícil para convertidos viverem a nova fé em Cristo. A forte ênfase no budismo adicionado ao nacionalismo faz com que as pontuações para nação e igreja aumentem constantemente. O mais recente pico na perseguição em 2019, ocorreu devido a influências ao desenvolvimento do Exército Unido do Estado Wa, no nordeste do estado de Shan.

A média no nível de pressão aos cristãos aumentou nos últimos cinco anos de 8,9, em 2015, para o nível muito alto de 12,1. Isso se deu por influência das ações do Exército Unido do Estado Wa. Porém, deve-se manter em mente que é muito difícil conseguir informações detalhadas das regiões devastadas pela guerra no predominante estado cristão de Kachin. Por conta disso, o nível de violência real e a pressão pode ser ainda maior que os dados.

Os convertidos são os principais afetados pela pressão muito alta nas esferas da comunidade, família e vida privada. Porém, os demais cristãos enfrentam muita perseguição nas esferas da nação e igreja. Essa pressão é alimentada por um aumento na ênfase do budismo, excluindo as demais minorias. Além disso, a contínua guerra contra insurgências afeta principalmente os cristãos dos estados de Kachin, Shan e Kayin. Esse conflito segue sem ser noticiado, ofuscado pela situação amplamente divulgada dos rohingya.

As ações contra igrejas no nordeste do estado de Shan, pelo Exército Unido do Estado Wa, contribuem para o aumento nas pontuações para igreja e violência. A violência contra cristãs cresceu de 7,8, em 2018, para 11,1, em 2019. Entretanto, devido aos combates regionais, especialmente nos estados de Kachin e Shan, é muito difícil obter relatórios precisos quanto a ataques contra cristãos e igrejas.

Enfraquecimento do cristianismo
Em geral, a perseguição em Mianmar não discrimina de acordo com gênero. Porém, relatórios indicam que agentes do governo, como policiais ou membros de alto escalão do exército, são recompensados ao casarem com mulheres cristãs. A recompensa consiste em dinheiro ou em uma promoção. As mulheres cristãs aceitam esses casamentos por verem isso como uma forma de sair da terrível pobreza e insegurança. Por conta da cultura do patriarcado, espera-se que as mulheres sigam a religião dos maridos. Então, se uma mulher cristã se casa com um homem não cristão, ela deverá seguir a religião do marido. O objetivo desta política é enfraquecer insurgências – algumas conduzidas por minorias cristãs.

Além disso, escolas convertem crianças cristãs como forma de impedir o cristianismo de se espalhar na próxima geração. Os meninos são criados para serem monges. Ao iniciarem os estudos, recebem roupas de monges e saem pela comunidade pedindo comida.

Pedidos de oração

  • Ore pelos cristãos perseguidos que fazem parte de minorias étnicas.
  • Peça que corações estejam abertos para a verdade de Cristo.
  • Interceda pelo aumento da liberdade religiosa no país.