Para pressionar os que fugiram, governo da Coreia do Norte pune familiares que ficaram no país

Fonte: portasabertas

Coreia do Norte encabeça a Lista Mundial da Perseguição, que elenca os países mais perigosos para seguir Jesus, todos os anos desde 2002. Qualquer pessoa que acredite em uma autoridade superior à da família Kim é considerada inimiga do Estado. Os cristãos na Coreia do Norte devem manter a fé em segredo e, muitas vezes, são incapazes de dizer até mesmo aos familiares mais próximos.

Enquanto a Coreia do Norte e a China reprimem os desertores, famílias inteiras sofrem e são frequentemente punidas pelas ações de seus parentes. Se um cidadão é acusado de ser cristão, as autoridades enviam toda a sua família para um campo de trabalho forçado. A maioria nunca é vista novamente.

“O objetivo desta ação é impedir os desertores de trabalhar com grupos de direitos humanos e igrejas e pressionar os refugiados a voltarem. Às vezes, esses desertores que retornam são treinados para se tornar espiões e, em seguida, enviados novamente. Isso não é voluntário… eles não têm escolha”, afirma um pesquisador da Portas Abertas. 

Desde que Kim Jong-un chegou ao poder em 2011, o número de desertores norte-coreanos caiu. A segurança nas fronteiras entre a Coreia do Norte e a China, onde os desertores frequentemente fogem, aumentou. Essa questão é parcialmente alimentada pelo medo que a China tem de um aumento de refugiados devido à seca e fome na Coreia do Norte.

As incursões em toda a China aumentaram desde meados de abril, destruindo a “Ferrovia Subterrânea” norte-coreana, uma rede informal de corretores, instituições de caridade e intermediários que ajudam aqueles que desejam fugir. Pelo menos 30 norte-coreanos foram presos. Mesmo quando os norte-coreanos escapam do país, estão sujeitos a intensa vigilância e pressão, especialmente na China.

Ajuda emergencial para a Coreia do Norte

Há quase 30 anos, a população da Coreia do Norte enfrenta problemas com o fornecimento de comida. Isso resulta em uma realidade de fome constante. Projetos como este, realizado pela Portas Abertas, permitem que os cristãos norte-coreanos refugiados na China saibam que não estão sozinhos nesta batalha. Saiba como se envolver e envie alimentos para cristãos norte-coreanos.

Pedidos de oração

  • Peça que os cristãos norte-coreanos tenham sabedoria para entender quando e como compartilhar sobre Jesus.
  • Clame em favor daqueles que fugiram do país, para que encontrem segurança e que suas famílias que permaneceram no país não sejam punidas em seu lugar.
  • Interceda pela igreja clandestina que está crescendo. Ore para que permaneça firme em Deus.